Pesquisador Encontra Quase 50 Mil Sites Infectados Com Malware De Mineração

Pesquisador encontra quase 50 mil sites infectados com malware de mineração

O pesquisador de segurança Troy Mursch, do Bad Packets Report, encontrou quase 50 mil sites baseados em WordPress infectados com malwares de mineração de criptografia.

Conforme relata o The Next Web, Mursch usou o motor de pesquisa de código-fonte PublicWWW para verificar os sites e conseguiu identificar, pelo menos, 48.953 páginas infectadas, sendo que a maior parte executa o script de criptografia Coinhive.

Além disso, os dados mostram que existem outros 2.057 sites infectados pelo Crypto-Loot, 4.119 por CoinImp, 692 páginas por Minr e 2.160 por DeepMiner. A Bad Packets Report também registrou no mês passado sites do governo e serviços públicos de diversos países que estavam executando os scripts silenciosamente.

Esta não é a primeira vez que o pesquisador encontra sites que estavam minerando criptomoedas. Em novembro do ano passado, Mursch foi responsável pela descoberta de outros 30 mil sites que executam o Coinhive.

Baker Tilly

De acordo com a especialista em Segurança da Informação, Gerente da Baker Tilly, Juliana Nicolau, as últimas notícias de ataques pelo mundo servem apenas de alerta. O que pode ocorrer é muito pior. “Independentemente da maturidade ou necessidade do seu negócio uma solução de segurança da informação deve ser adotada para minimizar os impactos de uma violação como esta”, recomenda.

Faça backup dos seus arquivos. “Um dos maiores danos que os usuários podem enfrentar é a perda de arquivos, por isso, a melhor proteção é ter tudo salvo em outros locais como em um HD externo ou em nuvem”, recomenda.

Suspeite de e-mails, websites e aplicativos desconhecidos. Para contaminar os equipamentos da vítima com um vírus do tipo ransomware, os hackers precisam instalar um software, que dá início ao ataque. “Por isso tenha cuidado”.

Sempre faça atualizações. Atualizar os softwares minimiza as vulnerabilidades e evita a instalação deste tipo de vírus. “É recomendável usar sempre a versão mais atualizada do programa”.

Mude senhas. “Caso a conta apareça como alvo de vazamentos mude a senha imediatamente em todos os serviços usados”. A dica é usar combinações fortes e únicas, com letras e números. “Nunca use a mesma senha para acessar diferentes tipos de serviços”, finaliza Juliana Nicolau.

Com informações de Olhar Digital

×Close search
Buscar