Cliente Da Baker Tilly é Primeira Empresa No Brasil A Fazer Transação Com Debênture Por Meio De Blockchain

Cliente da Baker Tilly é primeira empresa no Brasil a fazer transação com debênture por meio de blockchain

No dia 16 de dezembro, aconteceu no Brasil a primeira negociação com debênture por meio de blockchain. A Piemonte, uma instituição financeira global, que também atua no país e é cliente do escritório da Baker Tilly no Rio de Janeiro há três anos, foi a empresa responsável pela transação com debênture emitida por ela própria e subscrita em ambiente fechado.

Foram emitidos 66 milhões de reais que foram distribuídos em 440 títulos de 150 mil reais cada a cinco investidores qualificados, segundo informações da agência Reuters de notícias. Esse fato pode impulsionar o uso dessa tecnologia de registro distribuído para captação de recursos no mercado de capitais brasileiro.

Blockchain

blockchain (também conhecido como “o protocolo da confiança”) é uma tecnologia de registro distribuído que tem na descentralização sua principal medida de segurança. É uma base de registros e dados distribuídos e compartilhados que têm a função de criar um índice global para todas as transações que ocorrem em um determinado mercado.

Funciona como um livro-razão, só que de forma pública, compartilhada e universal, que cria consenso e confiança na comunicação direta entre duas partes. Dessa forma, elimina intermediários, corta custos e burocracia para emitir e negociar títulos no mercado de capitais.

Tendência mundial

O Brasil segue uma tendência mundial, com essa inédita transação com debênture por meio de blockchain. O banco espanhol Santander, por exemplo, emitiu em setembro 20 milhões de dólares por meio de blockchain. E o Banco Mundial emitiu 110 milhões de dólares australianos, que foram distribuídos entre investidores na própria Austrália.

No caso da Piemonte, o projeto foi feito em associação com a fintech norte-americana Horizon Globex, a primeira a realizar emissão privada de ações por meio de blockchain.

Segundo o italiano Alessandro Lombardi, fundador e presidente da Piemonte, em entrevista à Reuters, a gestora adaptou a tecnologia à legislação brasileira, aplicando-a para a emissão privada de debênture. “Foi o início de um caminho. Mas no futuro, com uma regulação por parte do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), esse pode ser excelente instrumento para as empresas se financiarem por meio do mercado de capitais”, disse.

Conheça os serviços oferecidos pela Baker Tilly no Brasil em http://bakertillybr.com.br/.

 

 

 

 

Translate »
×Close search
Buscar