Trending:

Baker Tilly fortalece posição na América Latina

A Baker Tilly International expandiu sua presença na América Latina adicionando a GCF Consultores na Costa Rica à sua rede. A empresa começou a negociar como Baker Tilly com efeito imediato.

Liderada por uma equipe de sócios com mais de 15 anos de experiência, a empresa fornece consultoria contábil, financeira, de auditoria, fiscal e jurídica em seu escritório em San Jose, e tem a ambição de desenvolvê-los ainda mais e crescer em novas linhas de serviço para atender às mudanças necessidades dos clientes.

Falando sobre o desenvolvimento, Gonzalo Hordeňana, presidente regional da rede para a América Latina, disse: “Na Baker Tilly, estamos comprometidos em ajudar nossos clientes a crescer e prosperar, seja local, nacional ou internacionalmente. A Costa Rica continua a atrair um dos mais altos níveis de investimento estrangeiro direto per capita na América Latina. Ao receber a GCF Consultores, fortalecemos ainda mais nossa cobertura e recursos-chave em toda a região.

“Os ambiciosos planos de crescimento da empresa e seu compromisso em fornecer serviços profissionais de alta qualidade os tornam uma ótima opção para nossa rede.”

O sócio-gerente da GCF Consultores, Alberto Porras Rojas, disse: “Estamos muito satisfeitos por fazer parte da rede Baker Tilly. Fazer parte de uma marca reconhecida globalmente e as relações internacionais, capacidades e suporte que traz, nos permitirá continuar a evoluir e atender às demandas cada vez mais complexas de nossos clientes, agora e amanhã.”


Fonte: Baker Tilly International em https://news.bakertilly.global/network-news/baker-tilly-strengthens-position-in-latin-america/

 

Terra de vulcões e de praias paradisíacas, a Costa Rica tem a segunda capital mais nova do continente (a primeira é Brasília, inaugurada em 1960). Fundada em 1738, San José só se tornou a sede do governo local em 1823, dois anos depois da independência do país. A cidade surgiu em torno de uma igreja construída em uma área conhecida como Boca del Monte. O templo foi dedicado a São José, de onde se originou o nome do município.

Após a independência, a Costa Rica viveu um longo período de crescimento econômico com a construção de ferrovias e portos para escoar a produção de açúcar, café e banana. San José se desenvolveu muito graças a essa intensa atividade exportadora. Foi nessa época, principalmente durante o governo de Juan Rafael Mora Porras (1849-1860), que a região ganhou uma infraestrutura urbana mais sólida, com a construção de ruas, avenidas, teatros, hotéis e bancos.

A principal cidade da Costa Rica fica na província de mesmo nome e tem mais de 1,7 milhão de moradores em toda a região metropolitana. No distrito financeiro estão instalados os principais edifícios administrativos e econômicos do país, como prédios do governo, banco central e escritórios corporativos. A região ainda se destaca pelos grandes centros industriais e comerciais.

A influência europeia é evidente em San José. A cidade ainda preserva alguns prédios erguidos há três seculos. O Teatro Nacional da Costa Rica, construído em 1897, época em que a população da cidade não passava dos 19 mil habitantes, apresenta traços europeus em sua arquitetura, por exemplo.

A capital costarriquenha é uma das mais seguras da América Latina. De acordo com o governo local, em junho deste ano, os índices de criminalidade caíram 12,5% depois de um investimento de 175 milhões em infraestrutura e inteligência policial. É também uma das mais quentes da região: a temperatura média fica entre 20° e 28°C, podendo ultrapassar os 30° C no verão.

Com mais de dez museus e teatros, várias universidades e intensa programação cultural, San José foi eleita em 2006 a Capital Iberoamericana da Cultura, título já concedido a outras grandes capitais, como Cidade do México e Bogotá.

Fonte: Terra em https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/turismo/turismo-de-negocios/san-jose/san-jose-e-a-segunda-capital-mais-jovem-da-america-latina,006eac77471ca310VgnVCM3000009acceb0aRCRD.html

 

Conteúdo em Destaque